Seja gentil…

Seja gentil no fim. O momento certo de mostrar tudo aquilo que um dia você já sentiu será no fim de tudo. Porque você não deveria agir pelo que significa hoje, mas pelo que já significou.

Conversando com algumas pessoas, percebo o quanto ignoramos que somos um amontoado de tudo aquilo que vivemos. Um amontoado que vez ou outra soterra até aquilo que somos, trazendo a sensação de não ter sobrado muito de nós.

Você pode ignorar isso. Mas inconscientemente você responde à vida, por todas as experiências que já passou. Temos essa capacidade humana única de identificar padrões comportamentais. E até ignorar os sinais destes padrões quando nos apaixonamos. Tanto em nós quanto no outro.

A falha estrutural está na confusão de quando um dispositivo deveria parar para que outro tomasse a frente. Em geral, julgamos errado, no momento errado, a pessoa errada.

E neste imediatismo das conexões em fibra-ótica, ironicamente o que menos usamos é a ótica. Vira tudo fibra, tudo fios, cordas que nos pendem nos transformando em marionetes do nosso próprio passado.

Quanto mais bagagem acumulamos, mais estreitamos o olhar, mais encurtamos a paciência, menos ouvimos, mais pré-julgamos, mais desperdiçamos da possibilidade de reescrever o próprio destino.

Invariavelmente não estamos onde de fato gostaríamos de estar quando éramos adolescentes, completamente livres das dores da vida adulta. Nada novo pode ser escrito até que você seja capaz de abandonar as dores para trás.

Volto ao início, pois tudo é ouroboros. Tudo é cíclico. Mas nunca é a mesma coisa. Seja gentil no fim. Aquela história construiu você. E por mais que você queira esquece-la, elas fazem parte de quem você é. Permita também ao outro, guardar estes momentos. Não esvazie a sua história e não tire de outra pessoa, a única coisa que sobrou de você, as memórias. O que você fará daqui por diante, não depende de apagar o passado. Depende de querer ou não repeti-lo.

Seja gentil no fim. Seja fiel as palavras que um dia proferiu. Não esqueça que apagando o passado, você apaga parte de si mesma.

Seja gentil no fim.

Share: